COMO AJUDAR SEU FILHO A SUPERAR A TIMIDEZ

SENTA QUE LÁ VEM INFORMAÇÃO!

Quem nos acompanha, já deve ter lido alguns relatos meu sobre o comportamento tímido da Lara.

Preocupada com isso comecei a pesquisar algumas coisas na internet e consegui algumas informações que considero válidas compartilhar com vocês, afinal tem muitas mães por aí com o mesmo problema.

Gostaria de deixar claro que não estabeleço essas informações como verdade absoluta, até mesmo porque desvendar a mente humana não bem assim né gente, muitas teorias existem, e o mais legal delas é nos fazer refletir sobre nosso comportamento e sobre o que eles causam, alguma coisa sempre faz sentido e nos ajuda a melhorar.

crianca-segurando-a-perna-da-mae-foto-varandahshutterstockcom-00000000000172e3

TIMIDEZ

A timidez é um padrão de comportamento em que a pessoa mostra desconforto e inibição em situações de interação pessoal.

Não é uma doença, e é visto como normal que algumas crianças apresentem um padrão mais inibido, ou que tenham dificuldades de se expressar, é muito importante entender isso e respeitar os traços da personalidade da criança que se apresenta um pouco retraída.

O comportamento tímido do filho só deve merecer intervenção dos pais quando começa a provocar sofrimento para a criança e a prejudica de alguma forma. É o caso das crianças que buscam sempre se isolar e brincar sozinhas e que consideram uma verdadeira tortura participar de atividades sociais que deveriam ser prazerosas.

Uma criança pode ter a chamada de timidez crônica quando apresenta grande dificuldade para se relacionar com os outros em diversos tipos de situações sociais e não apenas em uma situação específica. Para quem tem timidez crônica, “os outros” são vistos como uma verdadeira ameaça à sua integridade emocional.

Outras que apresentam desconforto apenas em algumas situações específicas. Por exemplo: quando precisam falar em público ou quando têm de falar com pessoas que não conhecem direito.

SINAIS DE TIMIDEZ

Um dos sinais de timidez é rubor na face que pode estar associado ou não ao rubor das orelhas e do pescoço, geralmente acompanhado por uma sensação súbita de calor na região afetada.

É comum também o tímido gaguejar, usar baixo volume de voz, ter pouco contato visual, usar pouca expressão corporal e suor excessivo.

Muitas vezes o tímido tenta fugir da situação que o assusta. É comum a criança buscar se esconder no quarto ou sair correndo do ambiente que ela quer evitar por timidez. Ela está excessivamente focada no julgamento que farão dela: ‘estão me olhando e vou ser avaliada’. Ela não confia em ser capaz de corresponder à expectativa do outro e constrói uma imagem negativa de si mesmo.

COMO ESSE COMPORTAMENTO SE ESTABELECE?

Existe na criança o TEMPERAMENTO que é uma predisposição genética, e que vai atuar como coadjuvante no desenvolvimento do COMPORTAMENTO externo. Influi, mas não é uma condição determinante. Nesse caso, a força do meio onde vive tem mais peso.

COMPORTAMENTO é instrução, conhecimento, sugestão de uso. TEMPERAMENTO é instinto, é o potencial para alguns processos que irão precisar de estímulos externos para aflorar e ganhar forma.

E agora as mãe pira na culpa né? Porque mães já tende a se culpar por tudo mesmo e agora mais essa de que está favorecendo um ambiente para florescer a  timidez do filho, tá fácil não minha gente!!!

Tá ok, não enfatiza muito a culpa não, bora passar esse assunto, a gente tira proveito do que pode tirar, faz nossa reflexão e vê o que pode fazer para melhorar esse tal ambiente.

O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA AJUDAR

E daí que mãe de criança tímida tenta fazer tudo que pode pra criar um ambiente que NÃO favoreça a timidez, pra encontrar artigos pela internet que diz que a gente está fazendo justamente o contrário, pém pém pém…

Mas nada de chorar o leite derramado, vamos ver algumas atitudes sugeridas e analisar o que conseguimos por em prática.

  • Evite comparações, ninguém é tímido porque deseja ser, a criança pode ser tímida porque acredita que  seja, e a comparação é a raiz de tudo. A criança  se compara porque já foi comparada antes, mas nunca de forma positiva, sempre em tom depreciativo.
  • Faça elogios, a timidez na maioria das vezes é o resultado de uma autoestima muito baixa e o elogio pode fazer com que essa criança passe a reconhecer as suas qualidades e desse modo fortalecer o seu amor próprio.
  • Diga quanto o (a) ama, uma criança que sente amada é uma criança com boa autoestima. Não economize nos beijos e nos abraços e nem nas palavras de afeto.
  • Mostre seu orgulho, quando seu filho(a) fizer algo que você considere positivo, não deixe de mostrar a sua aprovação. Diga que sente orgulho dele(a) Provavelmente você adoraria ter ouvido isso dos seus pais, então propicie isso aos seus filhos. Lembre-se de incentivá-lo (a) quando ele(a) começar a fazer algo novo.
  • Forneça a eles pequenas tarefas, realizar uma pequena tarefa faz com que a criança se sinta importante, o que faz o pequeno tímido se tornar mais autoconfiante. Determine uma atividade que a criança seja capaz de cumprir, entretanto essa deve ser uma tarefa real e necessária para a família, algo inventado e desnecessário não agrega o mesmo valor.
  • Encoraje o convívio com outras crianças em parques, clubes, festas infantis, casa de familiares e amigos e todos os lugares com pessoas da mesma idade para interagir.
  • Os pais são os principais modelos de comunicação e sociabilidade, portanto o exemplo dos pais pode ajudar os filhos a saber como se relacionar com os outros.
  • Incentive a ajudar os outros: Quando você envolve a criança na realização de pequenas tarefas para alguém que esteja precisando, ela se sentirá útil, valorizada e menos inibida.
  • Convidar outras crianças para brincar com ele em casa também é uma boa opção para socializar e demonstrar como receber visitas em casa.
  • Conversar, explicar as situações e os sentimento, orientar, tentar descobrir o que a criança está sentindo naquele momento e o que pode fazer para melhorar e o que costuma acalma-la também pode ajudar.

REPENSE SUAS CRÍTICAS

  • Critique o comportamento e não a criança. Quando seu filho(a) faz algo indevido você deve repreender a ação dele: “coloque suas coisas no lugar” ou “preste atenção nas suas tarefas” Não critique a criança: “você é um bagunceiro” ou “você não presta atenção em nada”. Críticas à criança dão a ela uma sensação de inadequação e incapacidade.
  • Não faça críticas ou chame a atenção dele na presença de outras pessoas. Isso causa um constrangimento desnecessário e torna a criança ainda mais insegura.
  • Não dê características negativas ao seu filho (a). A criança não sabe quem ela é, são os pais quem dizem para ela quem ela é.  Quando você fala ao seu filho: “Você não faz nada direito”, “você é burro mesmo!” ou qualquer outra coisa desse tipo, faz com que a criança acredite nisso e se sinta inapta e inadequada para tudo.

ATENÇÃO

  • Pais muito rígidos e exigentes podem contribuir para o desenvolvimento da timidez, isso acontece porque o exagero na hora de repreender a criança quando ela faz algo inapropriado pode fazer com que ela se retraia. Isso não significa que você não deve dar bronca no seu filho quando necessário, mas que deve tentar estabelecer um equilíbrio na maneira como faz isso.
  • A superproteção também pode ser um erro, pois a criança tem mais dificuldade de resolver os próprios problemas. Crianças que são superprotegidas também têm dificuldades, já que perdem a capacidade de encarar a frustração e tendem a se isolar socialmente para não sofrerem decepções.

 

  • A timidez não se cura com as comparações, isso apenas tende a agravar o quadro. Comparar um tímido a alguém de comportamento não retraído é o mesmo que fazê-lo sentir-se culpado pelo fato de ser inseguro.

HORA DE BUSCAR AJUDA

Se você perceber que esses procedimentos não estiverem surtindo resultado, não demore em procurar a ajuda de um profissional: pediatra, psicólogo ou psiquiatra infantil.

 

Criamos uma criança tímida quando exaltamos os potenciais, as habilidades e os atributos especiais dos filhos alheios, ou dos colegas, ou dos seus irmãos, deixando claro para a criança que é comparada, as qualidades que ela não possui, assim ela nunca se sentirá capaz, pois já determinou no seu subconsciente quais as qualidades que ela precisa ter para ser aceita e conviver com as pessoas.

Um tímido se cura quando perceber que seu trabalho tem valor, que suas opiniões e gostos são relevantes. Por isso é importante criar um ambiente onde ele poderá se sentir importante, colaborativo, útil, necessário. E esse é o início da solução do problema.

Confesso que muita coisa aqui eu já tento fazer e não é novidade pra mim, mas isso da comparação é algo que involuntariamente eu acabo fazendo, mesmo longe dela, vou me policiar ainda mais pra que isso não aconteça.

Vamos trabalhar nisso então minha gente!!!

Espero que as informações tenham agregado e facilitado a compreensão de vocês, assim como ajudou a mim.

Bjs,

Paula 🙂

Fonte:
http://www.psicologosp.com/2013/10/como-ajudar-uma-crianca-timida.html
http://sitededicas.ne10.uol.com.br/ed_integral_criancas_a_timidez2.htm
http://sitededicas.ne10.uol.com.br/ed_integral_crianca_e_pensamentos_negativos.htm
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s