O NASCIMENTO DA HELENA: DESCOLAMENTO DE PLACENTA E UMA CESARIANA.

SENTA QUE LÁ VEM A SUA HISTÓRIA

A CESÁREA salva vidas, especialmente num caso de DESCOLAMENTO DE PLACENTA PRÉVIA. A história de hoje é repleta de MILAGRES: dificuldade para engravidar, placenta prévia e repouso logo no início e um afogamento em líquido amniótico.

relato sheila 2

“Olá, meu nome é Sheila, e venho contar minha história de como foi minha gestação e parto (Cesárea). Fazia 1 ano e meio que estava tentando engravidar, tomando remédios e fazendo vários exames (estes que não davam nenhum problema), muitas pessoas falavam para eu “desencanar”, porque a ansiedade de engravidar estava me deixando maluca, e isso dificultava.

Foi no mês de outubro que eu ia fazer um exame para ver como minha ovulação estava, e um dia antes do exame deu uma baita chuva na minha cidade, com granizos do tamanho de laranjas, minha casa ficou com o telhado destruído, molhou tudo dentro, fiquei super nervosa, tivemos que dormir em um hotel neste dia, e para acalmar o nervosismo acabamos namorando um pouquinho, hehehe. No dia seguinte fui fazer o exame e o médico disse que eu tinha ovulado por isso não conseguia ver óvulo nenhum, fui para casa tranquila, pois sabia que era o mesmo resultado de vários outros que já tinha feito.

Umas semanas depois passei muito mal e tive que tomar remédio na veia, mais não me preocupei, pois ainda nem estava no tempo de vir a menstruarão, nas próximas semanas eu ia fazer o primeiro teste prático para tirar carteira de motorista, e estava com uns 2 dias atrasada (não me preocupei), no dia do exame brinquei com uma mulher que estava fazendo o teste comigo

– Se eu não passar, vou comprar um teste de gravidez, se não der certo aqui, vai dar certo de outra forma.

Não passei, e comprei o teste de gravidez, sem nenhuma esperança, pois sabia que ia dar negativo como muitos outros.

Cheguei em casa, meu marido tinha ido para aula de inglês, fui fazer o teste, e surpresa!!! Tinha uma barrinha bem rosa e uma barrinha rosa bem clarinha (que nunca tinha dado antes), não acreditei, e fui bater na porta de uma vizinha pra ela ver se eu não estava maluca, ela me confirmou falando que uma prima dela tinha lhe mandado uma foto exatamente igual e que estava gravida!

Fiquei boba, e mandei uma mensagem para meu marido comprar um outro exame de gravidez, ele chegou e eu dei a noticia, ficou super feliz, e fizemos o de farmácia e o de sangue no dia anterior, confirmando a gravidez, marquei obstetra que iria me atender em umas 3 semanas.

Comecei a sentir muitas cólicas, ficando com muito medo, ligava para a obstetra que não me atendia, e um dia chegando em casa do trabalho fui tirar a roupa para tomar banho e vi que minha calcinha estava com sangue, liguei desesperada para obstetra, que não me atendeu,  quem me atendeu foi a secretária que disse para eu buscar uma maternidade e fazer uma ecografia, fomos eu e meu marido chorando que nem condenados para o hospital, e lá o médico disse que estava com descolamento na placenta, e que tinha que ficar em absoluto repouso e tomando remédio para não perder.

Nesse meio tempo procurei outra obstetra, uma com especialidade em gestação de risco, e encontrei uma muito boa e super requisitada, consegui marcar uma consulta na mesma semana, ela me deu os mesmos remédios e atestados para ficar em casa em repouso.

Depois de 15 dias estava tudo muito bem com meu bebezinho (graças a Deus), o resto da gestação foi tranquila, com uma obstetra que atendia a todos os chamados desesperados de uma mãe de primeira viagem. No dia 18 de junho de 2015, acordei muito disposta, terminei de retocar o quarto de minha princesinha, fui ao mercado, me enchi de besteiras, bordei duas toalhinhas de boca, quando meu marido chegou a noite, estava com uma caixa de trufas, que devorei quase sozinha, fomos dormir, quando eram umas 12:30 da noite levantei para ir ao banheiro e o susto!

Minha bolsa tinha rompido, estava de 36 semanas e 2 dias, acordei meu marido para buscar o telefone, e enquanto ligava para a obstetra ele foi deitar novamente! Pode isso?! Kkkk…  tremia que nem vara verde, ela disse para eu ir a maternidade que tinha escolhido e espera-la lá.

Chegando na maternidade a obstetra de plantão disse que estava tudo bem, com 3 centímetros de dilatação, e que eu ia esperar, pois minha obstetra iria chegar apenas as 6 da manhã, fui sozinha para um quarto e lá passei 4 horas de contrações de 5 em 5 minutos, eu uivava de dor (por dentro, pois não gosto de fazer escândalo),  tentava dormir mais sabia que não iria conseguir, então comecei a prestar atenção em um médico que estava dormindo em um quarto ao lado, ele roncava horrores,acho que tinha apnéia, e isso me distraia um pouco nas contrações, hehehe…

relato sheila

As 6 horas em ponto minha obstetra chegou e eu ainda estava com 3 centímetros de dilatação, não aguentei e pedi a Cesária, as 6:23 da manhã do dia 19 de junho de 2016,  minha pequena Helena nasceu, pesando 2,300 com 42 cm, não precisou ficar na incubadora, graças a Deus, foi para o quarto comigo linda e mamando.

Amamentação que tive que ter muita paciência, por isso agradeço a Deus profissionais tão dedicados pois se não fosse a paciência e sabedoria das enfermeiras, com certeza tinha desistido de amamentar, lá por um meio dia, eu estava esperando que fossem me ajudar a tomar banho, notei que minha pequena estava se afogando (como eu sabia disso? até hoje não sei explicar), chamei meu marido, mas com o desespero ele acabou pegando ela errado, e a menina começou a ficar roxa, gritei para ele leva-la para as enfermeiras, e elas vieram e uma conseguiu fazer com que ela voltasse, que susto! Levaram ela para sugar o resto do liquido amniótico com que tinha se afogado, voltou para meus braços sossegada e dormindo, depois disso eu e meu marido revezávamos para dormir, de tanto medo com que ficamos.

Depois de uns meses começamos a dormir um pouco mais tranquilos, não teve mais nenhum episódio de afogamento (só neuroses de mãe e pai de primeira viagem), hoje ela já está linda com um ano, dois dentinhos em baixo, os de cima saindo, quase andando, e eu acho que já me acostumei a ser mãe, sempre agradecendo a Deus pelos profissionais que encontrei na maternidade e a minha obstetra que foi tão atenciosa comigo.”

ENVIE SUA HISTÓRIA PARA NÓS! SERÁ UM PRAZER PUBLICAR…

ENVIE ATRAVÉS DO EMAIL: sentaquevemhistoria@gmail.com

Beijos,

Lucinha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s