FUI ABUSADA PELO MEU TIO

SENTA QUE LÁ VEM A SUA HISTÓRIA!

Hoje trazemos mais um relato de abuso, me dói o coração ler histórias como essa, pessoas que deviam proteger as crianças acabam ferindo-as pra sempre.

História triste sim, desagradável sim, mais de extrema importância trazer a tona, é um alerta para nós mães e pais, precisamos proteger nossas crianças, precisamos confiar no que eles dizem, precisamos ser o porto seguro onde eles possam desabafar seja o que for sem o risco de serem incompreendidos.

abuso

“Nasci de uma gravidez não desejada, foi a primeira vez da minha mãe na verdade, ela casou com 15 anos e foi morar com meu pai, a relação deles durou 2 anos, depois disso separaram e eu fiquei morando com minha avó e meus tios, pouco depois minha mãe casou novamente, e eu continuei morando com minha avó, sempre fui cercada de cuidados, pelo menos é o que me dizem, meu tio mais velho foi quem fez papel de pai, assumindo os cuidados e financeiramente também.

Quando tinha uns 4 anos lembro dele me tocando de uma maneira diferente, depois lembro dele deitando sobre mim sem roupa, se esfregando, pegando nas suas partes íntimas, e sempre colocava um plástico me “protegendo” de ter contato direto com ele, isso era diariamente, até meus 7 anos, depois disso lembro dele fazendo o mesmo com meu irmão, depois com minha prima, lembro que uma vez que tentei enfrentá-lo, perguntando o que ele ia fazer com ela, e disse que ia contar para minha avó, ele disse que se eu contasse algo me daria uma surra e que eu não sairia mais de casa.

Recebi uma criação que eu era obrigada a aceitar tudo de todos, sempre baixar a cabeça pra tudo. Hoje estou casada tenho 2 filhos lindos, um esposo maravilhoso, tem 5 anos que não vejo ninguém da minha família, mudei de cidade, e ultimamente me deu uma saudade enorme da minha avó que já é idosa e não conhece meus filhos, aproveitando uma vinda da minha mãe, irei voltar com ela pra minha cidade e passar alguns dias lá, mas não estou confortável e reencontra-lo.

Hoje ele é casado,  pai de família, não sei o que se passa dentro da sua casa, se ele faz o mesmo que fez comigo, meu irmão e minha prima, não contei pra ninguém na época, porque tinha certeza q ninguém acreditaria, e ainda me dariam uma surra com “motivo” já que apanhava sempre e por nada, o que mais me dói é ouvir minha avó idolatrando ele como se fosse um Deus, que eu tenho uma dívida eterna com ele, que ele foi muito mais que meu pai. Escrevo isso com uma ânsia de vômito enorme, não gosto de falar nesse assunto me faz um mal terrível, sinto nojo até hoje, agora começo a me arrepender dessa viajem, tenho uma filha de 2 anos e me da um calafrio de imaginar ele perto dela, mas no fundo ainda quero tentar acreditar que ele mudou depois da paternidade, que não é mais um doente, mas o que foi feito comigo com minha infância me marca até hoje, cuidem das suas crianças os doentes estão onde menos esperamos.”

Você tem uma história pra contar? Gostaria de dividi-la conosco?

Então envie um email para sentaquevemhistoria@gmail.com

Bjs, e até a próxima!

Paula

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s