RELATO DE UM VBAC (parto normal após cesárea) SONHADO E MUITO DESEJADO NO DIA 25/12, NATAL!

SENTA QUE LÁ VEM RELATO DE PARTO

Hoje temos a história linda, de garra e fibra da Mari, que após uma cesárea não desejada e não necessária, relato AQUI! ela conseguiu o seu PN sonhado com a segunda filha.

Eu acompanhei toda gestação e sei como ela lutou, se informou, buscou. Teve de enfrentar alguns perrengues como TROCA DE HOSPITAL já em trabalho de parto ativo, ameaças da médica e violência emocional…mas passou por cima e CONSEGUIU.

Amo histórias assim de parto. Veja bem, para nós aqui da página tanto faz ser CESÁREA ELETIVA, PARTO NORMAL, NATURAL, DOMICILIAR, o que a gente torce e vibra é quando vemos a vontade e escolha da gestante ser respeitada, ela ser tratada com dignidade e aquele momento ser lindo e sublime como ela buscou.

Com a palavra, Mari:

parto mari

Raíssa, papai e mamãe a espera da Manuela.

“Quem leu meu relato de parto da Raissa sabe que meu desejo sempre foi ter um parto normal, após dois anos eu grávida me vi novamente em busca de um parto no qual talvez não fosse possível realizar devido ao sistema que predomina em querer nos dizer que o normal é seguir a “modernidade”.
Quero contar como eu consegui meu parto normal e que vocês gravidinhas possam se inspirar e conseguir realizar o desejo de vocês, seja qual for, muita força.
Senta que lá vem a história… rsrsrs…
Quando eu comecei a sentir um certo enjôo, eu sabia que estava grávida, por incrível que pareça, eu sentia um bebê dentro de mim. Sei que dizem que não dá para sentir o bebê mexer com poucas semanas, mas eu a sentia dentro de mim.
Tão querida e esperada como sua irmãzinha Raíssa.
Fui em busca de um ginecologista que fosse a favor do parto normal, como eu tenho convênio, não tinha condições de me dar ao luxo de pagar uma equipe humanizada.
Meu parto estava nas mãos do sistema. 😦
Achei uma médica atenciosa, mas em nenhum momento ela me perguntou o que eu queria, em nenhum momento ela me incentivou a ter um parto normal.
Eu resolvi também não contar a ela meu desejo.
E assim passamos meses de consulta, fiz todo meu pré natal com ela, quando completei 34 semanas, conforme ultrassom ela disse que eu deveria escolher o hospital.
Escolhi um próximo de casa, fui visita-lo e adorei a sala de parto normal, chamada delivery, um sonho, com banheira, luz que brilha no teto, perfeita.
Minha filha nasceria ali.
Detalhe, todas as vezes que eu visitava uma maternidade eu me sentia um e.t., as outras mães e pais se encantavam com o centro cirúrgico, onde é feita a cesárea, as enfermeiras só mostravam onde é feito o parto normal porque eu perguntava, enquanto eu me maravilhava com as salas de parto normal, eu via os outros pais cochichando com cara feia. Como se eu tivesse fazendo eles perderem tempo.
Escolhido o hospital, comuniquei minha médica, mencionei que achei linda a sala delivery, ela me olhou com uma cara que dizia,” é mas você não vai usar.”
Na outra consulta ela me disse agendei sua cesárea, eu pensei como assim, você nunca nem perguntou se eu quero isso.
Fez a cartinha para eu entregar no hospital, o papel do convênio para assinar, passou mais um ultrassom.
No dia que seria a cesárea fui para minha última consulta, hora de dizer a ela que eu não faria cesárea, então doutora eu não vou me internar hoje, eu decidi ter parto normal, e ainda é cedo para tirar minha bebê, no ultrassom estou de 36 semanas.
A médica ficou muito brava, mas disse que ia marcar a cesárea para outro dia.
Pensei: ela não ouviu o que eu disse.
Aí ela refez a papelada, alterou o que era dia 8 para 18.
Informou todos os riscos que eu corria esperando o parto normal, minha filha poderia morrer, que ela já estava muito grande,
E assim eu fui para casa decidida a nunca mais voltar naquele consultório.
No dia em que eu entraria na faca o hospital ligou e eu disse que não ia, me perguntaram se eu tinha falado para médica eu disse sim, mas parece que ela não me ouviu bem, né?
Atendente sorriu e disse que ia avisar ela.
Em seguida minha médica ligou furiosa, disse que eu deveria ter dito que queria parto normal, que ela fazia…
Oi?
Eu falei sim…
Mais uma vez ela falou dos riscos que eu corria ainda mais tendo cesárea anterior, eu disse que estava ciente. Ela ainda queria me operar, acredita?
E eu disse: não, obrigada!


No processo durante a gravidez, eu li bastante blog, contei com a ajuda de grupos no Facebook e muitas doulas solidárias.
Uma doula em especial que para minha sorte morava próximo e fez a gentileza de me emprestar o DVD do filme O renascimento do parto, foi fundamental para convencer meu marido de que o melhor para nós (eu e bebê) seria o parto normal.
Um filme lindo, emocionante, eu chorei muito, recomendo a todos os futuros pais e mães.

parto mari 2

 No dia 24/1’2/14 fui comemorar o natal na casa da minha irmã, um dia muito feliz, comi muitos doces e fui para casa. Dormi bem, mas quando foi umas 2h da manhã acordei com uma dor de barriga, fui no banheiro (hehehehe), passou, no outro as 7h acordei novamente com uma dor de barriga fui no banheiro, mas eu achei que essa dor fosse por eu ter comido muito doce. As 9h acordei novamente com uma dor de barriga, mas estava mais para cólica do que diarreia, então eu fui contar e não acreditei estava vindo de 5 em 5 minutos, fui até a casa da minha mãe (minha vizinha), e perguntei: Mãe, contração é quando a barriga fica dura e vem uma dorzinha nas costas? ela respondeu que sim, eu disse: nossa eu contei no relógio e tá vindo de 5 em 5 minutos, minha mãe desceu as escadas correndo e me disse: vai para o hospital agora que essa menina vai nascer!!

Fui para casa, falei para o meu marido a Manuela vai nascer hoje, ele se levantou do sofá correndo eu pedi calma, que ainda não estava na hora, vai comprar uma maçã que eu tô com desejo, enquanto isso vou tomar banho e fui e ele saiu.

Minha mãe chegou e disse você ainda está aqui, começou a me ajudar ficou com minha filha mais velha e eu fui para o hospital próximo de casa que havíamos escolhido. Quando chegamos fui atendida por uma médica, ao me examinar ela olhou para mim e perguntou, você tá sentindo alguma coisa, eu fiquei preocupada e respondi que não, por que? Ela disse:

-Você está com 7 cm de dilatação!! Geralmente as mulheres sentem muita dor nesse estágio.

Eu só conseguia sorrir, eu sentia uma leve cólica, mas nada assustador. Ela começou a fazer a papelada me informou que a sala de parto normal que eu queria estava livre e disse que já ia me preparar, enquanto isso meu marido foi fazer minha internação. Me trocaram, me colocaram no cardiotoco e enquanto eu aguardava veio a médica e disse olha eu falei com a equipe médica e você não pode fazer parto normal, vai ter que ser cesárea. Falou e saiu.

Na hora fiquei pasma! Chamei a enfermeira que estava próxima e falei, você ouviu o que ela falou: Como assim cesárea, eu tô com 7 cm de dilatação, por favor, chama meu marido, porque nem que eu tiver que parir sozinha aqui, mas me cortar eu não vou deixar. Ela disse calma, mas me trouxe uma outra médica que veio com uma cara amarrada, e veio impondo olha você vai fazer cesárea, sua barriga tá muito alta, pelo ultrassom sua bebê já esta muito grande, você tem cesárea anterior. Não podemos arriscar você perder sua filha! Tentei argumentar, mas foi inútil. Ela virou e saiu.

Pedi novamente a enfermeira que trouxesse meu marido, enquanto eu tentava alguma ajuda no grupo do facebook, nessa altura já estava vendo se teria alguma parteira disponível, nem que eu tivesse que pagar por fora do convênio. Quando meu marido chegou ele perguntou o que estava acontecendo e eu já chorando disse que queriam fazer cesárea em mim com a mesma desculpa da primeira vez. Aí ele me perguntou o que eu queria fazer e eu pedi para que ele me levasse para outro hospital. Nisso veio outra médica, me examinou na frente dele e começou a falar olha pai esta vendo quando eu coloco minha mão sua filha pula aí dentro, ela tá toda solta na barriga, se não operarmos ela agora, sua filha pode morrer, porque como ela tá lá em cima o cordão pode romper estourar e começou a falar essas coisas que deixam agente com medo.
Aí eu olhei para ela e disse, agora fala para o meu marido os riscos que eu corro fazendo cesárea. Ela me olhou feio e saiu.
Aí meu marido falou: você quer ir vamos, eu levantei, a enfermeira me ajudou a me vestir e saímos desse hospital.
Falei para o meu marido me levar para a maior maternidade de São Paulo, que embora muitas pessoas dizem que lá tem um alto índice de cesárea todas as mulheres que eu conheci que tiveram parto lá que optaram por normal, foram bem atendidas, claro que não foi o parto humanizado, mas foi o parto normal. Isso tudo eu já em trabalho de PARTO ATIVO, COM 7 DEDOS DILATADA.
No caminho eu consegui falar com uma doula que estava no RJ, gente ela estava em viagem e mesmo assim parou tudo para me ajudar, ela foi incrível, ela me tranquilizou e me deu ainda mais força nesse momento. Por isso, grávidas se vocês tiverem condições contratem uma doula.
Quando chegamos no hospital fui fazer minha ficha, passei na triagem e demorou 40 minutos para eu ser atendida. Eu não disse que estava vindo de outro hospital, como eu não estava sentido dores, acho que ninguém ali acreditava que eu ia ter um bebê.
Quando o médico me chamou, eu falei para o meu marido não falar nada. O médico me perguntou o motivo da consulta, eu disse que estava sentindo cólicas e que acreditava que minha filha ia nascer. Ele disse: vamos te examinar então, e após toque ele olhou para minha cara e disse: você acha que sua filha vai nascer hoje?
Eu pensei, pronto, quer vê que a outra médica errou e eu não estou dilatada.  Ele disse: vai nascer sim, você está com 7cm de dilatação. Eu sorri e disse, então Dr. eu quero parto normal.
 Ele respondeu:
-Sim, e por que não seria?
UFA, ALÍVIO.
Nisso meu marido foi fazer minha ficha e me prepararam para ser levada para sala de parto.
*Detalhe: no outro hospital as médicas usaram fita métrica, para medir minha barriga, nesse hospital em nenhum momento foi feito isso* Saí de casa as 10h da manhã e subi para sala de parto as 14h*
A obstetra veio me examinar e se apresentar, a enfermeira me colocou o cardiotoco, colocou soro.
Fiquei ali, meu marido veio e aí comecei a sentir umas cólicas maiores, passou uma hora a médica veio e disse que ia estourar minha bolsa para me ajudar, depois que a bolsa estourou eu comecei a sentir uma cólica bem forte, uma contração atrás da outra. Tinha a sensação de que eu queria urinar toda hora. Pedi para ficar em pé, a enfermeira me trouxe uma bola, ensinou meu marido a fazer uma massagem.
Assim eu fiquei por mais uma hora, não aguentei e pedi anestesia, nisso eu já estava com 8 cm de dilatação.
Veio anestesista, me fez toda explicação. Eu morrendo de medo… mas… quis. Ele aplicou e a enfermeira me examinou e disse, nossa evoluiu bem, você está com 9 cm, vou chamar a doutora.
Depois que eu tomei a anestesia não senti mais nenhuma dor, foi instantâneo, mas antes também não estava nada absurdo.
Nisso foram montando a sala, saía tantos instrumentos do armário, foi um show a parte.
 Quando a obstetra me examinou ela disse: pai você queria saber se ela era cabeluda, vem ver!
Ele olhou e veio me dizer: ela é bem cabeludinha… rsrsrs.
A médica pediu que eu fizesse força, foi apenas 3 vezes e logo ela colocou a Manuela em meus braços, foi uma emoção incrível, foi um sonho, foi mágico.
Graças a Deus ela veio ao mundo perfeita no dia perfeito, 25/12, NATAL, no dia que ela quis chegar a este mundo.
parto mari 3

Que delícia esse momento! Abençoado!

A obstetra me explicou sobre o corte no períneo e se eu queria, eu confesso que no momento eu fiquei com medo de dizer não e ela me fazer algum mal. Eu aceitei, mesmo não sentindo dor alguma.
A Manuela em meus braços, eu no instinto ofereci meu seio e ela pegou bem, a pediatra olhou e disse que danadinha em menos de 10 minutos de vida já está mamando. Perguntei se podia e ela só fez elogios, disse que era perfeito.
Deixaram eu curtir minha filha por uma hora. Ela ficou ali comigo, só nós duas, ela mamando, foi demais. Maravilhoso!
Eu tive o meu parto normal, com convênio, mas com muita força, se não fosse pelos grupos do facebook, pelas doulas que se propuseram a me ajudar e pelo filme eu não teria conseguido.
Fico feliz que ainda existam médicos que respeitam a nossa vontade, mas tem que procurar bem ou ter condições de pagar. Ou ir até uma casa de parto, no meu caso a que é próxima da minha casa não aceita com cesárea anterior.”
Meninas espero que tenham gostado dessa história linda e de superação.
beijos,
Lucinha.
Anúncios

Uma opinião sobre “RELATO DE UM VBAC (parto normal após cesárea) SONHADO E MUITO DESEJADO NO DIA 25/12, NATAL!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s