CASAMENTO APÓS MATERNIDADE – O QUE MUDOU?

E o casamento por si só já não é fácil de levar, mesmo que se namore por anos e se conheça muito bem um ao outro, a partir do momento que passamos a morar junto, tudo ganha outra dimensão.

São 2 pessoas diferentes, criadas por famílias diferentes, com crenças, costumes e valores diferentes, que a partir de então formarão seu próprio núcleo familiar.

Conectar essas duas formas distintas de criação, juntar tudo que se sabe e se acredita para construir a própria verdade e identidade do casal é um grande desafio para quem resolve juntar as escovas de dentes.

topo-de-bolo-de-porcelana

Eis que então chega mais um integrante na família e por mais planejado que possa ter sido, nunca será da maneira como imaginamos.

Marido e Mulher agora possuem nova função a de PAI e MÃE, existe uma pequena vida que precisa 100% das nossas atenções e suga toda nossa energia , paciência e todo tempo que o casal tinha apenas para ser casal.

E o casamento, como é que fica?

A chegada da Lara mudou tudo, nossa rotina, nossas prioridades, o relacionamento, nossos valores, enfim… É como se tudo estivesse começando do zero.

Eu e meu marido nos conhecíamos muito bem como marido e mulher, mas como pai e mãe tínhamos apenas uma vaga noção do que cada um considerava importante. E ao mesmo tempo que tivemos que aprender a nossa nova função, tivemos também que compreender e aceitar como o cônjuge exercia o seu novo papel.

E é aí que o bicho pega (ou não)!

Tantos aspectos que envolvem a criação de um filho: alimentação, educação, influência dos familiares, a idade certa pra isso, a idade certa pra aquilo, enfim… Isso sem falar nas inúmeras tarefas que tomaram conta do tempo que tínhamos livre e que agora não temos mais.

Confesso que aqui em casa um dos dilemas é justamente esse: o marido acha que a Lara vai se sentar e brincar sozinha por 2h ininterruptas. Ele quer aquele tempo que ele tinha antes dela. Pego no pé dele com relação a isso.

O outro acredito que já é influência do primeiro (rsrsr), é que eu gostaria que ele tivesse mais iniciativa nos cuidados com ela. Ele é paizão, não posso reclamar não, tudo que eu peço ele faz. Mas confesso que as vezes gostaria de que ele tomasse a iniciativa de fazer sem eu precisar pedir, ou então que não desistisse tão prontamente quando ela apresenta resistência por ele estar fazendo alguma atividade com ela.

Mas noto que agora com ela maior, isso já mudou bastante, acho que ele deve se sentir mais seguro do que quando ela era um bebê.

Quanto a vida social, não tivemos problemas, nunca fomos festeiros, claro que dá saudade dos amigos, de sair pra conversar, mas nesse quesito foi mais light .

Outro baque que acredito que afeta a vida da maioria dos casais é com relação a vida sexual e ao romantismo do casal não é mesmo?

De repente tudo passou a ser previsível, com dia e hora certa pra acontecer, parece que ligamos o piloto automático só mesmo pra cumprirmos mais uma das nossas tarefas.

Me admira muito em lembrar que há algum tempo atrás algumas mulheres tinham filhos pra “segurar” o marido e salvar o casamento!!! rsrsrs

Mas sabem, as expectativas são as grandes responsáveis por muitos atritos que podem surgir nessa nova fase.

O marido espera que tenhamos um determinado comportamento, e nós também esperamos um comportamento exemplar da parte deles. Claro, afinal casamento é parceria, é impossível vivermos um vida juntos sem esperar a colaboração do nosso parceiro. Espera-se que cada um faça a sua parte pra que a convivência seja prazerosa e justa. Por isso considero muito importante o dialogo e o respeito na vida do casal.

Aqui em casa, as vezes falta o diálogo sim, mas nunca nos desrespeitamos. Enquanto temos o respeito um do outro temos também a admiração, que já é um grande motivo para fazer as coisas funcionarem.

Digo por mim mesma, que as mulheres esperam muitas vezes que os maridos adivinhem aquilo que elas desejam que eles façam, mas eles nunca advinham… Eles são péssimos nisso!

Expor as nossas expectativas ajuda bastante a compreender o que um espera do outro e transformá-la em algo real. Falar das nossas dificuldades é importante pra que o outro entenda o porque não conseguimos ou não queremos fazer determinada tarefa.

Não é fácil, eu sei! Eu mesma continuo esperando que o marido adivinhe algumas coisas, rsrsrsr. E acho que ele também espera que eu adivinhe as vezes. Mas também  já progredimos muito nesse sentido.

O diálogo é algo que se constrói dia a dia, desde o namoro… Quanto mais o tempo passa mais confiança temos em nos abrir. Falar das nossas dificuldades e das nossas expectativas não é fácil, precisamos ter a confiança de que seremos bem interpretadas, de que o outro se coloque em nosso lugar e entenda nosso ponto de vista.

Se eu não sei que tudo vai mal, como é que eu posso consertar as coisas? Se eu não sei que algo incomoda como é que eu posso ao menos tentar mudar?

Chance…

Engraçado não é, como uma palavra leva a outra?

Todos nós precisamos ter a chance de fazer a coisa certa, de mudar, de saber…

As vezes até mesmo uma 2ª chance…

Há quem dê a 3ª a 4ª, enfim…

O que vale mesmo é ter a consciência de que fazemos o melhor que podemos fazer!

E se por vezes a chegada dos filhos podem desestabilizar o casamento, muitas outras eles chegam pra unir e fortalecer ainda mais a vida do casal.

Bjs,

Paula 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s