CARTA PARA MARÍLIA E MICAELA!

CARTA PARA MICAELA E MARÍLIA

12/11/15

carta marilia e micaela

Filhas,

No fundo, o meu eu egoísta e de mãe amedrontada, deseja  que vocês não cresçam, nem se apaixonem, nunca saiam de casa, não se exponham, apenas simplesmente não se tornem alvo para tudo que existe.

Queria ter a certeza que vocês sempre irão sair pela porta e retornarão bem.

Porque eu não sei. Um dia eu saí e retornei, quebrada, exausta, cansada… Mas sim, eu cresci, vivi e retornei.

Sabe filhas, sei que não posso, não posso guardá-las somente para mim. E no fundo, sei que também nem quero.

Sigam em frente. Não parem. Não deixem que te falem que vocês não podem, não vão, ou não merecem. E não, vocês duas não tem de se diminuir para caber em moldes retrógrados e medíocres dessa tal sociedade, os moldes que devem lhes dar passagem.

Nunca deixem que ninguém ouse lhes tirar a oportunidade de ser alguém melhor. No fim somos muito daquilo que fazemos com aquilo que fizeram da gente.

E é isso que eu quero, em meio a tantas loucuras e devaneios aqui, da vossa mãe, quero felicidade, quero sorrisos, abraços sinceros, quero vocês, do jeitinho que serão.

Espero que vocês gostem de cor de rosa, mas também do amarelo, do azul, do verde e das outras cores deste mundo. Espero que brinquem de boneca, mas também de carrinho, de lego, de pipa.
Espero que vocês se vistam de princesa e acreditem em contos de fadas, mas também usem moletons, corram pelo gramado, subam nas árvores para pegar frutas, brinquem com água nos dias quentes de verão.

Almejo que fiquem sentadinhas desenhando, mas também se sujem na terra, se lambuzem de sorvete e gostem de um bom jogo de bola com o papai. Espero que cresçam sensíveis, mas também verdadeiras, inquietas e curiosas.

No fundo, eu penso em vocês filhas, e vou sonhando com a menina que um dia eu fui. Esta menina que virou mocinha, que virou mulher e que virou mãe.

Acho, então, que ser mãe de menina é reviver com ternura e paciência as fases da minha própria vida.

Ser mãe é me reconhecer em todas as descobertas de vocês, é me identificar com os sonhos e com os medos que virão. Não é querer que seja igual, nem desejo isso, mas é compreender, com experiência de causa, os sentimentos e os mistérios que envolvem o universo feminino.

Vocês não precisam casar, nem ter filhos, se não quiserem. Nem ter doutorado ou se formarem como primeiras da classe. Não precisa. Vocês não serão obrigadas a serem extrovertidas. Nem serem calmas o tempo todo, Muito menos terem o controle da situação (se nem eu tenho porque exigiria isso?). E não, não precisam ser parecidas. Sejam mesmo diferentes. Mas sim, sejam tolerantes.

Respeitem acima de tudo, vocês mesmas, e aos outros.

E que assim, dia após dia, a gente se abrace, dance, pule, se arrepie, se esquive, se descubra com a ponta do pé, brinque com isso e cresça. Porque enquanto vocês crescem eu me fortaleço. E que o amor nos banhe. E que saibamos conviver sempre uma com a outra.

Com amor,

Mamãe.

Anúncios

2 opiniões sobre “CARTA PARA MARÍLIA E MICAELA!

  1. Aaah Lucinha, Pô!!! Logo cedo me fazendo chorar! Toda vez que abro seu blog, fico aqui, igual a uma manteiga derretida… chorando a vida! Lindo e verdadeiro o que vc escreveu! É o que desejamos, o sonhamos para os nossos filhos… a felicidade deles! Beijos pra vcs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s