SER MÃE É SURTAR NO PARAÍSO

texto paula
E tem dias que dá vontade de sumir, desaparecer, evaporar…
Pegar seu filho no colo e sair desesperadamente em busca de descobrir o lugar de onde ele veio pra poder devolvê-lo.
Meu Deus aonde eu estava com a cabeça, como fui entrar nessa???

Eu tinha certeza que sabia tudo, que seria uma ótima mãe e que teria a solução pra todos os problemas. Até que cheguei aqui… Ao ponto de não saber o que fazer, de procurar aonde eu errei e de querer desistir (como se fosse possível)…

Ser mãe não é fácil, mas tem dias que os desafios se fazem ainda maior!
Não sei porque, mas as vezes temos a falsa sensação de que tudo acontece mais tranquilamente na “casa da vizinha”… Parece que todos os bebês e crianças do mundo resolvem colaborar, crescer e evoluir menos seu filho.

E aí em meio a toda essa explosão do cansaço que vinha sendo camuflado e acumulado há meses, você vê sua filha ali, te observando… Percebendo que você está prestes a desabar, e então ela recua, pondera, olha bem dentro dos seus olhos com um olhar acuado pedindo por favor eu quero minha mãe de volta!

E a culpa cai sobre os ombros de maneira tão intensa, que então você desaba de vez, e em meio ao choro acolhe aquele pequeno ser que mal entende o que se passa. E é fantástico o poder que as crianças tem de perdoar e esquecer, enquanto ficamos ali remoendo nossos sentimentos e cuidando das nossas feridas, elas já estão agindo como se nada tivesse acontecido.

A culpa me acompanhará por meses…
Mas quem foi que disse que mãe não pode surtar de vez em quando?
Todos nós temos direito a dias ruins…

Surtar faz bem! O choro lava a alma e descarrega o peso que vamos acumulando no dia a dia, nos deixando mais leves e com ombros desocupados para os desafios que ainda estão por vir.

Que viagem louca é a maternidade! Mesmo quando temos todos os motivos do mundo para sumir é então que escolhemos ficar. Mesmo quando tudo nos diz “cuide de você isso tudo é muito cansativo”, lá estamos nós planejando um segundo filho.

Tem dias que eu penso que ser mãe não era pra mim, olha aonde eu vim parar, em outros eu tenho a plena convicção de que nasci pra ser mãe!
E se a mulher apenas por ser mulher já é difícil de entender… Imagina uma mãe!

Por Paula de Souza

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s