DE REPENTE: TRIGÊMEOS!!!!

SENTA QUE LÁ VEM A SUA HISTÓRIA!

Imagine você já tendo uma filha, daí planeja o segundo filho, engravida novamente e assim, do nada, no 1 ultrassom médico diz: AH É DOIS VIU…OI doutor? Vc nem bem assimilou as palavras quando ele completa: OPA OPA TEM MAIS UM AQUI! SÃO TRÊS! HAHAHAHA

MISERICÓRDIA!

Pois é, e isso aconteceu com a Michele. Ela certa vez comentou um post meu no blog, eu respondi e fui espiar o blog e página dela: XONEI. Impossível não se apaixonar por eles, pela Mônica, pela história, é risada garantida e pepinos em triplo também rs. A Michele escreve super bem (como ela dá conta gentiii?) e é uma MÃE LINDA E SUPER DEDICADA.

A Página dela é: OS TRIGÊMEOS DA MICHELE no facebook e para o blog só clicar AQUI! Acessem meninas, porque é SUPER LEGAL!

trigemeos 4

Mônica e os manos. rs rs

Tenho 33 anos e sou casada há 9. Nesse período, contabilizo quatro filhos, uma média de um a cada dois anos. Porém, minha história não é bem assim.
Me considero muito tradicional. Namorei sete anos antes de casar, e só noivei com a data do casamento marcada. Não morei com o marido antes do casamento. Como casei aos 23, quis esperar cinco anos até ter o primeiro filho. Seriam dois. Um menino e uma menina, não necessariamente nessa ordem.

Pois o meu perfil metódico e ansioso, muitas vezes creditado bobamente ao meu signo zodiacal, foi completamente desmentido quando descobri minha segunda gravidez, que era planejada, como tudo na minha vida. No dia 8 de março de 2013, tive a suspeita de que estaria, então, grávida pela segunda vez. Já conhecia os sintomas, já tivera Mônica, um ano e sete meses antes. Fiz exame de sangue e descobri que o(a) irmãozinho(a) estava a caminho!

Por orientação da obstetra, marquei ecografia e consegui para dali a duas semanas. Eu não conhecia o laboratório nem a médica, não era o local onde eu havia frequentado na primeira gestação devido a incompatibilidades com o plano de saúde. Me colocaram em espera por cerca de duas horas, mas isso fez com que meu marido, que não havia conseguido se organizar para estar comigo naquele exame, pudesse me acompanhar. Eu já estava deitada na maca quando ele apareceu para assistir o exame. Ufa, só assim ele poderia acreditar no que estava por vir!
A médica ecografista iniciou o exame com poucas palavras e, em seguida, anunciou o que eu não estava sendo capaz de compreender, talvez por bobeira ou por total incredulidade: “é, são dois sacos gestacionais”. Nos olhamos, meu marido e eu, e o que saiu da minha boca foi: “mas, doutora, eu já tenho uma filha”. Ela disfarçou bem a cara de “e-eu-com-isso”.
Saí de lá arrasada, com o laudo na mão, e toda a organização da minha vida de ponta cabeça. A médica nos disse que, muitas vezes, o organismo reabsorve um dos embriões no início da gestação por diversos motivos. Então, como não havíamos podido ainda ouvir os corações, deveríamos fazer nova ecografia em 10 dias.
No dia 2 de abril daquele ano, já recuperada do choque, fiz ecografia em outro laboratório. Expliquei pro médico nossa situação, já preocupada com o bom desenvolvimento dos meus gêmeos. O médico iniciou o exame e nos disse: “bom, no primeiro saco gestacional está tudo bem, há um embrião e a vesícula vitelínica. Só que no segundo saco há dois embriões, são trigêmeos!” Plurivitelinos, dois idênticos e um diferente, bivitelinos e univitelinos na mesma gestação. E três corações batendo dentro da normalidade.
Foi aí que percebi que havia perdido totalmente o controle da situação. Trigêmeos? Tantas preocupações. Serei capaz de levar essa gestação até quantas semanas? Como poderão sobreviver em UTI se forem muito prematuros? Como vou cuidar e amamentar três? E a Mônica, como vou poder dar atenção à ela? Será que algum dia poderia voltar a trabalhar? Como vou ter dinheiro para sustentar tantos filhos? Essas preocupações me fizeram, às 25 semanas, transformar meu repouso absoluto em algo útil, que poderia me trazer alguma diversão: a criação do blog Os Trigêmeos da Michele (ostrigemeosdamichele.com.br).
Gestante de tri

Olha o barrigão dos trigêmeos…e linda né! Mônica toda feliz a espera dos irmãos.

A gravidez transcorreu sem maiores problemas e os trigêmeos nasceram de cesariana, no dia em que completei 34 semanas. O parto foi marcado porque o Matheus, o primeiro a nascer, estava se encaixando para começar o trabalho de parto. Eles nasceram no dia 4 de outubro de 2013, com cerca de 2 quilos cada um. Matheus com 2,070kg; Murilo com 1,950kg e Marcelo com 1,990kg. Ficaram 15 dias no hospital, sete na UTI neonatal e oito em uma sala especial para ganho de peso.

trigemeos 2

Que lindeza! Os três após o nascimento. Matheus, Marcelo e Murilo.

Tenho dois meninos idênticos e um diferente, mas eles são muito parecidos. São ruivos, puxaram à mamãe! Desde o início usávamos pulseiras para identificá-los. Minha mãe me ajudou muito no primeiro ano de vida deles. Ela e meu pai vieram e moram no condomínio onde nós moramos para que pudessem me ajudar. Uma babá foi contratada para passar as noites porque nos primeiros dois meses eu não dormia e isso dificultava a produção de leite. Amamentei os trigêmeos por seis meses! Nunca foi exclusivo, precisávamos dar complemento com fórmula, mas ao menos metade das mamadas era de leite materno. Parei porque não estava mais dando conta da demanda.

Nossa vida é uma loucura, mas conseguimos dar conta porque temos uma boa rotina! Acho que o segredo para o bom funcionamento de tudo em uma casa com tantos filhos da mesma idade é a criação e manutenção de uma rotina. Ela é essencial para que a gente não enlouqueça! É saudável para os pais e para as crianças, que se comportam bem melhor quando a gente diz a elas o que fazer.
Hoje eles estão com quase dois anos (e a Mônica com 4 anos). Já dormem a noite inteira em mini-camas. Já pedem para a gente colocar o vídeo que querer ver na TV. Pedem para passear no pátio e chamam uns aos outros em casa o tempo todo. A sensação é que passou tão rápido.
Mesmo com a correria e com a loucura, meu marido e eu costumamos nos focar no lado bom. Dá trabalho? Claro que dá. E cansa. Mas temos quatro sorrisos e quatro abraços verdadeiramente apertados quando acordamos de manhã. E isso é tudo o que importa nessa vida.
trigêmeos 3

Aniversário da Mônica. Família toda reunida. Michele, papai Maurício, Matheus, Murilo e Marcelo. FAMÍLIA LINDA!

Obrigada Michele por ter nos cedido seu relato incrível!

Beijos,

Lucinha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s