DRIBLANDO O SISTEMA POR UM PARTO NORMAL! – Senta que lá vem SUA história

Seria cômico se não fosse trágico. Mas essa é a triste realidade da obstetrícia brasileira. Chegamos em um ponto em que se você quer um parto normal precisa “burlar” o sistema, procurar médicos de confiança e que apoiem o parto normal, e que informe todos os procedimentos para a parturiente, esse relato mostra como nossa amiga e leitora Luziangela conseguiu driblar o sistema para ter o parto dos seus sonhos, quer dizer quase, rsrs.
unnamed

Pequeno Davi logo após o nascimento

No dia 08 de outubro de 2013 tive uma consulta e estava tudo ótimo, mas o bebê ainda estava alto e não tinha encaixado. Segundo a médica ainda iria demorar mais ou menos 15 dias para Davi nascer, ou poderia até mesmo nascer somente em novembro, tentando assim me convencer a marcar uma cesárea e eu lutando contra, para ter o meu sonhado parto normal.

Entretanto no dia 09 de outubro às 22:30 da noite comecei a ter contrações, ainda sem ter certeza absoluta de que eram mesmo as contrações, pois tudo era só teoria, era uma cólica bem forte e vontade enorme de fazer o número 2, rsrs.

As contrações vinham, ficavam hiper forte e depois diminuiam. Comecei a cronometrar e estava irregular, no decorrer da madrugada ficaram de 10 em 10 minutos com duração de uns 30 segundos. Nessa hora avisei o marido que estava com contrações e ele quis me levar para a maternidade e eu disse que não iria, que ainda estava cedo.

Não dormi a madrugada inteira mas aguentei firme até amanhecer. De manhã continuaram e já estavam de 8 em 8 minutos,  na hora do almoço estavam de 5 em 5 minutos e ficando cada vez mais fortes as dores. Meu instinto me dizia que aquilo não era pra valer, que estava chegando a hora.

Liguei para minha mãe e disse que está com contrações e se ela podia ir limpar minha casa porque já não estava conseguindo e o Davi queria vir ao mundo e precisava da casa limpa. Liguei para médica e disse q estava com contrações desde a madrugada ela disse que não estava na hora do bebe nascer mas se ficasse muito forte era para eu ir até a maternidade que de lá ligariam para ela.

Almocei normalmente, entrei no face, fiz um vídeo do quartinho dele tudo com contrações, as dores ficaram mais fortes. Mais ou menos 15:30h minha mãe chegou em casa, daí eu disse que iria tomar um banho para ajudar na dilatação e diminuir as dores das contrações. Tomei um banho bem demorado e relaxado e quando terminei saiu o tampão, ai sim tive certeza que logo meu filho viria.

Saí do banho, fiquei sentadinha e disse para minha mãe: É, eu acho que o Davi está querendo vir mesmo, acabei de perder o tampão, minha mãe olhou para mim e disse: Menina, e o que você está fazendo aqui? Pode se mandar para maternidade que eu não estou a fim de fazer teu parto.

Obedeci, e fomos para a maternidade. Chegando lá,  deu um problema no meu plano que era apartamento e na hora a moça disse que tinha carência e eu teria que ir para enfermaria. Fiquei doida lá e disse que não, que isso havia sido a primeira coisa que perguntei quando mudei de modalidade. Devido a esse problema ficamos na recepção muito tempo e eu com contrações.  Daí enquanto meu marido resolvia esse problema (tivemos que ligar na Unimed, no RHh da minha empresa, um caos), me levaram para enfermaria para que eu não ficasse ali com contrações.

Daí fomos, já tinham ligado para minha médica quando chegamos mas nem sinal dela (no final ela só chegou quando o bebe já estava no quarto comigo). Veio o médico de plantão, perguntou o nome do bebe, e fez o famoso toque, (esse doeu os da Dra não doía), ai ele disse, Davi derrotou até Golias isso aqui para ele vai ser fichinha, já estou sentindo a cabecinha dele aqui e você já está na metade da dilatação e com poucas dores, você está de parabéns pode ter um por semana! Só olhei para ele e disse: Arrãã…rsrs

Vieram as enfermeiras e colocaram o bendito soro, eu estava indo tão bem, meu marido chegou bem na hora e disse que foi resolvido e era para nós mudarmos de quarto. Levantei com o soro apurando as contrações com as pernas tremendo e fui, chegamos lá, e tudo foi piorando as contrações ficaram muito doloridos após o soro, e o intervalo para respirar ficou muito curto, mas ainda bem que nosso corpo é sábio e dá esses intervalos.

Em uma contração bem forte o médico chegou para falar comigo, e eu só falei espere que agora não posso falar. Daí ele disse: Agora que começou as dorzinhas, vamos lá que vou te ensinar a fazer esse bebê nascer. Disse que era para eu respirar todo o ar não soltar e fazer força de cocô, na primeira não fui muito bem, fiz em soquinhos, mas depois aprendi.

Imagino que ele deslocou minha placenta sem me avisar pois doeu de novo. Fiz a  força bem ‘bunitinha’ e a bolsa estourou, só escutei uma sirene e o médico dizendo o bebe está nascendo vamos para o centro cirúrgico, as enfermeiras me colocaram na maca e pediram para eu não fazer força porque elas não queriam q o bebe nascesse no elevador…

E vocês acham que eu obedeci???  Fiz força sim, pois eu queria que ele nascesse o mais rápido possível e preferia sozinha porque o médico judia. Chegamos lá ele pediu para eu fazer a força, tirei tudo de mim, era de arder a cabeça, mas fiz e senti a cabecinha, o médico filha da mãe fez a maldita episiotomia por PROCEDIMENTOS, mesmo eu pedindo que não fizesse, que raiva.

Nessa hora, me empolguei e pensei: agora falta só mais um pouquinho! Ele pediu para avisar quando viesse outra contração eu não avisei fiz tudo sozinha, daí ele percebeu, rsrrs.

Davi nasceu na segunda força. Não deixaram meu marido acompanhar o parto. Ele só pode entrar quando ele nasceu pois o médico disse que não iria acudir se ele desmaiasse, mesmo sendo lei ter direito a acompanhante.

unnamed2

Momento sublime!

Nesse processo, aprendi uma coisa: Para ter um parto normal, você tem que ter sangue frio, está super preparada psicologicamente e se manter calma, em nenhum momento fiz escândalo o máximo que fiz foi gemer, que também ninguém é de ferro.

Depois que o bebe sai acaba toda a dor, minha recuperação se não fosse a episiotomia estaria 100% mas fiquei uns 98%, fiz de tudo, comi de tudo (menos feijoada rsrsr) dei o primeiro banho nele sozinha  nem mesmo com orientação.

Só ficou eu, meu marido e o bebê em casa, não precisei de ajuda de ninguém, fiz tudo como sempre sonhei, rsrsrsrs.

OBS: Marido não quer mais filho, mais eu quero ainda o 2° rsrsrs e se tudo der certo vamos no parto normal de novo , mas agora com mais experiência, já vou deixar as coisas mais claras com o médico e exigir que minhas vontades sejam respeitadas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s