Parto de GÊMEAS! Senta que lá vem a SUA história!

A história de hoje é muito especial, primeiro por se tratar de GÊMEAS, mas tbm porque a Erika é aquela leitora que virou querida, que virou amiga e que virou uma mulher que acima de tudo, NÓS admiramos muito! E ao saber da sua história, a admiração só cresce!

Imagina no susto, você se ver grávida de gêmeas, sonhar um parto e acontecer outro, um bebê nascer bem e saudável e a outra precisar ficar na UTI e não poder ir para casa?

Hoje, o relato belíssimo, daqueles de fazer rir e chorar, tudo ao mesmo tempo:

          Bom eu queria engravidar e morria de medo de não poder, minha mãe teve 3 abortos espontâneos e só conseguiu engravidar aos 27 anos de mim, hoje as pessoas podem até pensar: “Ah mais nem foi tão tarde assim!!!” Há 26 anos era, as pessoas tinham filho bem mais cedo, ela teve 3 filhos, todas gestações difíceis, e esse era meu maior medo.
Eu namorei cedo, com 14 anos estava namorando o hoje meu marido, foi meu primeiro namorado, meu primeiro amor, meu primeiro tudo, e estamos juntos e felizes, muito felizes até hoje, quando casamos decidimos que esperaríamos um pouco mais para ter filhos, apesar da pressão de todo mundo pelo tempo em que estávamos juntos, mas é sempre assim, quando namora: é quando vão casar? Quando casa: é quando vão ter filho? Quando tem filho: é quando vão ter o próximo? E assim vai…

            Quando estávamos com um pouco mais de 2 anos de casados eu parei de tomar anticoncepcional , fui ao médico, comecei a tomar ácido fólico, fiz alguns exames e fiquei na espera, alguns meses depois minha menstruação atrasou e eu fiz o teste de farmácia, deu negativo, decepção… Porém mais de um mês depois ainda sem menstruação fiz outro teste e novamente negativo, mais uma decepção… Quando completaram 4 meses dessa saga, desceu a menstruação e novamente foi uma decepção, pois a esperança é sempre a ultima que morre e eu e meu marido achávamos que uma hora o teste ia dar positivo, ledo engano… Fui a minha médica e relatei o ocorrido, então ela me pediu uma eco, fiz, e recebi a notícia de que tinha ovários policísticos e ovulava raramente e não era regular. A Dra me disse que eu poderia tentar até acertar ou então tomar remédios para ovular (um tratamento para ovular), eu aceitei, porém ela me disse que para começar eu teria que esperar vir a menstruação novamente, questionei o tempo, e se demorasse mais 4, 5 meses, então ela me disse que eu teria que esperar.

           Em dezembro fomos passar a virada de ano na praia, no dia 31 às 19h desceu e eu não havia levado os remédios para começar o tratamento, pois achei que iria demorar o próximo ciclo, não tinha receita para comprar lá e nova decepção, teria que esperar uma próxima menstruação para começar o tratamento.
Em janeiro meu marido pegou férias e resolvemos treinar bastante…kkkkkkkkk e eu já havia colocado na cabeça que a cada mês eu faria um teste para tirar a dúvida, pois como minha menstruação não era mais regulada e eu queria descobrir a gravidez no começo teria que fazer dessa forma, mais decidi não contar a ninguém nem ao meu marido, só quando desse positivo, se era para sofrer que fosse sozinha.
No começo de fevereiro, mais precisamente no dia 07/02/2013 acordei as 04:30h da manhã, assim que meu marido saiu para trabalhar e fiz um teste de farmácia, quando coloquei o palitinho no potinho com xixi apareceram dois risquinhos no tempo de uma piscada, foi muito rápido, na hora pensei: esse treco ta com defeito, e ao mesmo tempo , será? Fiquei numa euforia danada, e agora o que eu faço??

            Fui trabalhar, quando chegou o horário do almoço (almoço em casa) eu já tinha concluído que teria que ir a um laboratório fazer o exame de sangue, mas como? Chamei meu irmão, parceiro, contei pra ele e resolvemos inventar uma dor de dente, e que ele aproveitando o horário do almoço me levaria no dentista. Fomos, fiz o teste e recebi a notícia que o resultado provavelmente só sairia na segunda, ainda era sexta, quase cai pra trás, não agüentaria esperar.
Fiquei a tarde toda entrando no site do laboratório e nada, fiz uma cartinha pro meu marido como se fosse o bebê contando a notícia de que ele estava a caminho e continuei entrando no site e nada. Cheguei em casa à tarde, e meu marido estava deitado no sofá tirando um cochilo, como ele saía muito cedo pra trabalhar, sempre chegava e dormia um pouco até eu chegar ou até eu resolver acordar ele..kkkkk

         Quando deram 20h resolvi que ia entrar no site uma ultima vez e desistiria, qual não foi minha surpresa quando vi que o resultado havia saído, e deu mais de 25.000 mUI/ml sendo na referência estava a partir de 25 mUI/ml, na hora pensei: tem alguma coisa errada, porque se eu estivesse grávida, o valor teria que ser baixo e não alto desse jeito, pois estaria no comecinho ainda, tem alguma coisa errada aí, mas lá no fundo sabia que era um baita de um POSITIVO, não agüentei, peguei a carta e acordei meu marido,disse que havia chegado aquele correspondência pra ele, ele me disse: abra e veja o que é, ahhhhhhhh, na maior cara de pau, disse que eu não ia abrir, que era para ele e que ele que abrisse. Ele sentou, me olhou torto e abriu, leu, releu, olhou para mim e perguntou se era sério, então eu disse, é vc vai ser papai, então ele me abraçou e chorou, durante uns 30 minutos, foi lindo…

              Levei o resultado para minha médica, e foi tudo aquilo que todo mundo faz, exames, remédios… E uma eco para fazer, a primeira… Marquei e fomos, eu e ele, cheguei, e é tudo aquilo que toda mulher faz, a primeira é transvaginal, o Dr era bem bacana, perguntou um monte de coisas e começou a eco, até o momento eu suava frio, tinha certeza que chegaria lá e o médico me diria que eu estava totalmente louca e que não tinha bebê nenhum na minha barriga… É eu sei, sou louca mesmo…kkkkkk

             Mas enfim, começamos, e para Nossa alegriaaaa, ele disse que tinha um bebezinho lá e que ele estava “sentadinho” e que estava tudo bem com ele, e ai começou a mostrar uma membraninha (que eu achei que era a placenta) e nos disse ah aqui tem outro bebezinho (pausa para a nossa cara na hora), contou tudo sobre o outro bebezinho e disse que iria procurar para ver se não havia outro, pense na nossa cara de susto, ele chegou a perguntar se o meu marido estava passando bem…kkkkkkk mas enfim era brincadeira e eram só dois mesmo… Saímos de lá um pouco atordoados, mas mega felizes, meu esposo nem esperou chegarmos em casa, entrou no carro e começou a ligar para todo mundo… pense nos loucos…

relato parto erika 5

Pensa no susto: está tudo bem com o bebê doutor? Tá sim, e são dois tá! hahahaha

                  A minha gravidez foi super tranqüila, não senti nada, nada mesmo, só sabia que estava grávida porque a barriga crescia muito e porque via elas (depois ficamos sabendo o sexo, mas vou pular essa parte, afinal a história já está ficando longa) nas ecos, no resto, limpei casa, trabalhava todo dia, só ia nas consultas mensais mesmo. Com umas 30 semanas mais ou menos minha médica pediu para que eu diminuísse o ritmo um pouco, para tentar ir até as 38 semanas, então comecei a trabalhar meio período e peguei uma pessoa para me ajudar em casa, duas semanas depois tive que fazer repouso total, estava perdendo líquido, eu queria parto normal, mas até o momento as duas estavam sentadas e para virarem o espaço era pequeno, a minha médica me disse que eu poderia tentar, mas que a primeira poderia nascer de PN e que dependendo do tempo do parto a segunda teria que nascer de cesárea e ainda correndo o risco de sofrer, eu disse que deixaria para decidir mais para frente e ela graças a Deus respeitou a minha vontade.

relato parto erika 2

Se já é emocionante e um turbilhão de emoções abrigar uma vida dentro de si, imagina duas? Duplamente feliz, emocionada e amedrontada tbm rss

           As minhas ecos começaram a ser semanais e com Doppler para acompanhamento do fluxo de sangue que ia para elas, então no dia 12/09 fui fazer uma dessas ecos e a médica me disse que a Liah (minha segunda) não estava desenvolvendo, perguntou quando eu tinha consulta, disse que no outro dia de manhã, então ela me disse para não perder a consulta, porque eu poderia esperar mais uma semana ou fazer o parto, fui para a sala de espera para esperar o resultado e uns minutos depois ela me chama e diz que havia falado com a minha GO e que era para eu ir na consulta mas que ela já iria marcar o meu parto para sábado, pense no medo…
Fui na consulta e minha médica disse que precisava reservar duas vagas de UTI, que era obrigatório para parto gemelar, mas que não havia vaga em nenhum hospital, disse também que era arriscado demais esperar um PN que eu estava colocando a vida da minha filha em risco, aceitei a cesárea tranquilamente, porém e as vagas na UTI? A Dra disse que iria tentar e que daria um jeito delas nascerem até a próxima segunda. No dia 14/09 ela me ligou e disse que o parto havia sido marcado para o dia 15/09 (domingo) às 09h.

           No domingo lá fomos nós, estava um dia lindo, fomos eu, meu marido e meu irmão, e depois foram meus pais, outro irmão e amigos, enchemos o hospital…
Na eco as duas estavam com pouco mais de 2kg e segundo a médica se fosse assim e se elas estivessem bem iriam para o quarto comigo, meu parto foi rápido, detestei a sensação da cesárea, mais foi tudo bem, meu marido estava comigo e elas nasceram super rápido, a Laura nasceu às 09:40h pesando 2.065kg e a Liah às 09:42h da manhã pesando 1.565kg, vi as duas, porém a Liah foi muito rápido, ela teve que subir para a UTI.

        Fiquei com a Laura no quarto, e me recuperei super bem, tomei o primeiro banho praticamente sozinha, não senti nenhum efeito pós anestesia e amamentei minha pequena, mas faltava a Liah e eu não podia subir até a UTI ver ela ainda, fui somente às 20h ver ela e somente durante 30 minutos, não pude amamentar e nem pega-la no colo, doeu muito ver ela lá toda pequenininha , do tamanho da minha mão e não poder segurar ela, não poder alimentar ela, não poder dar um carinho pra ela.
Ganhei alta e fui embora com a Laura, o dia que isso aconteceu, chorei muito sozinha por não poder levar as duas, e saber que eu não poderia estar com a Liah, pois tinha a Laura para cuidar também, não podia ir ao hospital durante o dia, ia somente às 20h todos os dias e via ela através da incubadora durante 30 minutos e ia embora deixando ela.

         Um belo dia cheguei para vê-la, e para minha maior surpresa e alegria me perguntaram se eu gostaria de segura-la e de tentar amamentar, claro que eu queria, era o que eu mais queria, então a pediatra veio conversar comigo e me disse que eu teria que ir ao hospital de 3 em 3h para amamentar ela para que ela pudesse ganhar peso, assim que alcançasse 1.800kg e já estivesse sugando bem, iria embora, só que ela sabia que eu tinha mais uma princesinha em casa e que seria bem difícil eu fazer essa romaria ao hospital, então me sugeriu que eu internasse novamente e que ela desceria a minha pequena para o quarto e eu ficaria com as duas até a Liah ganhar peso e poder ir para casa, claro que eu aceitei, tudo pelas minhas pequenas. Ficamos nós 3 agora juntinhas, mas longe de casa e do papai ainda.

            No primeiro dia quando ela desceu para o quarto estava com 1.725kg (precisava chegar aos 1.800kg, pois sugar, ela sugava melhor que a Laura que já estava mamando há mais tempo), no outro dia, na pesagem foi para 1.715kg, entrei em pânico, me questionei onde eu estava errando, mas a pediatra me explicou que era normal, pois ela estava fazendo esforço para mamar, ela vomitava,pois mamava no peito e tomava complemento, depois descobri que o hospital estava dando o complemento e que não precisava porque se ela vomitava é porque estava satisfeita com o seio e mamava o complemento de gula, no segundo dia ela ganhou as 10g que perdeu no primeiro, no terceiro dia ela ganhou mais 10g e eu implorei pra médica nos dar alta que ela ia ganhar peso em casa (não agüentava mais o hospital, estava tensa e ficava sozinha o dia todo, meu marido só podia vir a noite), mas a médica foi categórica e disse que não podia, que ela era muito pequenina ainda, disse que se ela chegasse em 1.760kg ela nos daria alta. Amamentei muito aquela noite e na pesagem do dia seguinte a balança nos mostrou bem no momento que a pediatra entrava no quarto um belo e redondo 1.800kg, pois é, nem eu sei..kkkkkk
Ganhamos alta, furamos as orelhinhas, colocamos roupas muito maiores que nós e fomos para casa…

relato parto erika 3

Gostosura esse trio viu! Erika, Laura e Liah!

            Crescer, elas não cresceram muito…rsrsrsrs mais são super inteligentes, fizeram tudo no tempo de bebês que nascem a termo, nesse quase primeiro aninho ficaram pouquíssimas vezes doentes e nada grave…

            Somos, eu e meu marido os pais mais felizes do mundo, sempre digo que não são elas que aprendem com a gente e sim nós que aprendemos com elas, aprendemos a ser mais pacientes, a apreciar as pequenas coisas da vida, como uma folha caindo de uma arvore, aprendemos a sorrir por coisas que antes achávamos bobas, aprendemos que a felicidade cabe em um serzinho tão pequenino, no nosso caso dois, mais que ela é maior que tudo no mundo!

relato parto erika 4

1 aninho Laura e Liah! Não são umas princesas gente?

E VOCÊ, TEM UM RELATO QUE GOSTARIA DE DIVIDIR CONOSCO? ENTRE EM CONTATO INBOX PELA FAN PAGE!

 

 

Anúncios

2 opiniões sobre “Parto de GÊMEAS! Senta que lá vem a SUA história!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s