O MEU AMOR POR VOCÊ SEMPRE SERÁ DO MESMO TAMANHO

10410857_793227884045471_6489028068437701790_nAcordei de madrugada. Você não tinha chorado. Estranhei. Calcei os chinelos e fui até lá. Naquela noite você dormia numa plenitude em seu quarto.

É, agora você raramente precisa de mim nas madrugadas. Tampouco chora e quando o faz, ao invés de chorar por mim, chora escondido de mim.

Não preciso mais lhe dar comida na boca, apesar de que meu martírio para te fazer comer coisas saudáveis ainda continua. Permaneço passando horas fazendo comidas que possam lhe agradar, a diferença é que antes você chorava e as cuspia, agora você simplesmente reclama e as deixa de lado.

De repente senti saudades de quando minha coluna doía de te carregar para cima e para baixo, agora suspiro feliz e em silêncio quando você aceita sair comigo. Passei tanto tempo torcendo por poder fazer minhas coisas sem interrupções, ter o meu tempo, que quando ele finalmente chegou sinto falta de fazer parte do seu tempo!
De trocar suas fraldas e mordiscar seus pezinhos, tocar e beijar seu rosto sem escutar reclamações. Ir e vir até seu quarto sem pedir licença. Abraçar-te e apertar sem tempo para parar.
A saudade veio sem bater. Saudade até das madrugadas em claro, de seus choros de cólica e por dentes nascendo, saudades de tomar banho a jato, de ir ao banheiro acompanhada e de mal conseguir terminar uma refeição.
Você cresceu e eu também. Hoje você caminha por si só. Curti tudo que deveria? Aproveitei cada segundo?

Deitei e escutei o barulho. Olhei o relógio de relance, 03h45min da madrugada. Por uns segundos não assimilei, meus olhos teimavam em não abrir. O choro continuava, agora mais alto, e eu o conhecia. Levantei-me num salto e demoraram-se uns bons segundos para que eu compreendesse que só havia sonhado que você tinha crescido.

Meu bebê ainda continuava ali, a minha espera. O embalei em meus braços e seus olhinhos cintilaram segurança. Você já tinha crescido, não tanto como no sonho, mas cada dia era um dia a menos de você bebê. Você dormiu e eu continuei ali, olhando, admirando, zelando. NUNCA acordei tão feliz numa madrugada.
Não tenho medo do futuro nem de ver você dar seus primeiros vôos solo. A vida é um constante crescimento.

Mas não é fácil abdicar de noites de sono, da independência para ir e vir, muito menos educar… Contudo também não é fácil deixar crescer, viver e voar. Então, vamos aproveitar!

A você minha filha (o): não importa qual idade você tenha, se precisar de mim… me chame! Não me importarei se estiver dormindo ou doente. Meus problemas nunca serão maiores que os seus, nem meu cansaço irá sobressair sobre meu carinho. Se precisar conversar, eu sempre estarei para você. E não importa se você será grande ou pequena, o meu amor por você sempre estará do mesmo tamanho!

Por Lucinha Marinzek
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s